segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Evangelhos modernos

Caros irmãos, temos visto por intermédio da mídia e até mesmo por observação individual, o grande crescimento que as igrejas evangélicas, principalmente as neo-pentecostais têm apresentado ao longo dos últimos anos.
O Brasil vem sendo apontado por inúmeros líderes conceituados em todo o mundo, como um país onde Deus tem promovido um grande “avivamento espiritual”. No entanto, olhando esse “avivamento” mais de perto, precisamos levantar alguns questionamentos:

• Por que cresce o número de desviados?
• Por que cresce o número de evangélicos “não praticantes”?
• O que significa ser evangélico para essas pessoas?
• Por que suas práticas têm sido tão rejeitadas pelos cristãos históricos?

“porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos.” Mateus 24:24

Temos visto que o “evangelho” pregado em muitos púlpitos ditos evangélicos está muito distante do Verdadeiro, contido nas Sagradas Escrituras. Tentaremos então descrever resumidamente alguns “evangelhos” que vêm ganhando destaque em alguns grupos cristãos.

O “EVANGELHO” DAS FACILIDADES:

"Respondeu-lhes: Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, pois eu vos digo que muitos procurarão entrar e não poderão." Lucas 13:24

Este versículo nos mostra aspectos muito importantes no que diz respeito à Salvação:

a) Esforço: Para alcançar a Salvação, é necessário esforço! É necessário abandonar o pecado, deixar morrer a natureza terrena. Muitas pessoas têm tentado adaptar o Evangelho às suas vidas, quando Cristo nos ensina que somos nós quem temos que nos adaptar ao Evangelho através de uma vida de dedicação a Ele.
Esforçar-se significa: renunciar ao pecado, resistir ao diabo, separar-se do mundo.
Infelizmente, não é assim que temos visto muitos líderes ensinarem. Para muitos, a Graça de Deus nega que haja uma parcela de esforço individual para a Salvação, e através de uma hermenêutica vulgar, dizem que o que importa é crer em Jesus e ir a Igreja. Para estes, Deus aceita qualquer coisa, inclusive cultos sem santidade, com mãos “cheias de sangue” (Isaías 1:15). As conseqüências geradas por este tipo de “evangelho” já podem ser observadas: a mídia tem apresentado gente que se apresenta como evangélica, mas apóia o aborto, e posa nua, e mesmo sem sequer saber o que significa “nascer de novo”, professam ter certeza da Salvação. São as chamadas conversões psicológicas, as quais mencionaremos mais adiante.

b) A Bíblia nos fala de uma porta estreita, na qual toda pessoa que por ela passa é salvo. Agora entendemos o porquê do esforço. É necessário deixar do lado de fora toda a “bagagem” que adquirimos neste mundo para passar por ela. Essa “bagagem” inclui o pecado, a soberba, a posição social, e tudo aquilo que o homem tanto gosta de se apegar. Por essa porta não passará o impuro (Apocalipse 21:27). É necessário que o homem se lave com o sangue do cordeiro.

O “evangelho” das facilidades não prega uma porta estreita. Prega uma porta larga, cheia de facilidades. Basta “aceitar a Jesus” e você verá bênçãos abundantes sobre a tua vida. É um “evangelho” voltado unicamente para a satisfação pessoal das pessoas. A pregação gira em torno da questão: “O que Deus pode fazer por você?” É o “evangelho” dos direitos sem deveres.

c) “muitos procurarão entrar por ela e não poderão”: Muita gente só compreenderá a verdade quando já for tarde demais. Cristo nos mostra que o tempo urge e nos convida hoje a deixar os falsos evangelhos e seguir ao Verdadeiro. Antes que seja tarde demais...

O “EVANGELHO” DA PROSPERIDADE:

Para muitas pessoas, se tornar cristão é o mesmo que adquirir um passaporte para um mundo cor de rosa. É se tornar um super-crente, que jamais fica doente, não bate o carro, não tem crises financeiras, nunca tem problemas, enfim, vive o céu na Terra.
“Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la -á; e quem perder a vida por minha causa achá-la -á.” Mateus 16:24-25Quando se assume o compromisso de servir a Jesus, o que Ele nos garante é que todos nós teremos que carregar uma cruz. Quando assumimos este compromisso, nos disponibilizamos a sofrer e até mesmo a morrer por amor a Ele.
Infelizmente, esse “evangelho” doente que é pregado em muitos lugares, garante e promete aquilo que Deus nunca prometeu. Transforma igrejas em “shoppings da bênção”, onde as pessoas vão buscar aquilo que precisam. “Tudo através da fé!”
Quantas pessoas têm se frustrado com esse “evangelho” que promete riquezas, e após algum tempo, saem das “igrejas” dizendo que “Deus falhou”.
Não podemos nos esquecer nunca ao nos depararmos com esses movimentos, do seguinte ensinamento: “Quem muito busca a bênção, pouco se importa com o Abençoador.”

O “EVANGELHO” DO HOMEM-DEUS:

A esse “evangelho” moderno, gosto de chamá-lo se “Síndrome do Homem-Deus”. Aqueles que são atingidos por esta enfermidade, crêem serem deuses, poderosos e senhores de si.
O “evangelho” do Homem-Deus cria cristãos pela metade. São pessoas que aceitam a Jesus como Salvador, mas o rejeitam como Senhor. São pessoas que não aceitam estar debaixo do Senhorio de Cristo. Aceitam serem filhos, mas não servos. Não abrem mão de comandar a própria vida e ainda agem como se fossem deuses.
Os portadores desta “síndrome” aceitam ter um Salvador, mas não um Senhor. Afinal, quem não quer um Salvador? Alguém que te tire da depressão, da doença, da crise financeira... Para essas pessoas, Deus passa a ser um servo delas, um criado que tem que realizar todas as vontades do Homem-Deus. Deus está acorrentado, pelas suas promessas... Longe de ser Senhor.
Os portadores desta “síndrome” se acham no direito de:

a) Declarar e Profetizar: Muitos crentes crêem que podem, por exemplo, “chamar a existência coisas que não existem” quando Romanos 4:17 nos mostra que somente Deus faz isto! Outros declaram prosperidade, cura, bênçãos, quando a bíblia nos afirma que isto pertence a Deus. O que a bíblia nos ensina é: pedir, rogar, implorar, interceder, suplicar.

b) Se declararem deuses: Os seguidores deste “evangelho”, usam Salmos 82:6 e João 10:34 para se declararem deuses. Certamente ambas as passagens mostram a ironia que Deus utilizou para mostrar justamente o contrário, que somos insuficientes e incapazes.

c) Dar ordem aos anjos: Trata-se de uma errada interpretação de Salmos 91:11 e Salmos 103:20.

A “síndrome” do Homem-Deus, tem como causadores o orgulho e a soberba. Muita gente confunde o fato de ser filho de Deus, e acha que não é necessário humilhar-se ou submeter-se.
“Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte.” I Pedro 5:6

Não somos deuses! Não temos que declarar ou ordenar nada! Precisamos sempre nos lembrar que “as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos.” (Lamentações 3:22).

O “EVANGELHO” DO ENTRETENIMENTO:

Quantas são as pessoas que têm cometido o auto-engano de se deixarem levar pelo “evangelho” do entretenimento. Para estes, o fato de ir à igreja, é apenas um passatempo, onde se exercita o convívio social, e serve unicamente para o alívio do stress do dia-a-dia. Esse tipo de “evangelho” está disseminado entre as mais variadas denominações, e unido ao evangelho das emoções, geram uma sensação de bem estar, devido ao alívio das culpas que muitos cultos proporcionam, sem, no entanto, gerar modificações profundas.
Dentro desse grupo, observamos o mesmo fenômeno que acontece em grandes grupos sociais. Temos visto pessoas, que investem suas vidas na dedicação ao trabalho voluntário, por exemplo, em torcidas de times de futebol, outros em escolas de samba, outros em agremiações estudantis, e da mesma forma como conhecemos pessoas que “vestem a camisa” de uma entidade, muitas fazem o mesmo com uma igreja, sem, no entanto ter nascido de novo.
Temos observados ultimamente ainda algumas “igrejas” que promovem o chamado culto-show. Os louvores são acompanhados por coreografias de ballet, grupos de dança e em alguns lugares, são utilizados luzes de boate, que serve para entreter melhor os jovens e dar uma cara mais moderna ao culto. “Tudo pra Jesus!”, alegam.
Alguns “cultos-shows” ainda, têm sido embalados pelas “grandes manifestações do poder de Deus”, utilizando práticas espiritistas, psicológicas e emocionais. Surge então: regressão, quebra de maldições, unção do riso, cair no espírito, e outros “fenômenos”, onde debaixo de histeria coletiva, muitos crentes agem de maneira irracional e descontrolada. É usada música de fundo para acompanhar as orações e muitos recursos inimagináveis para manipular a emoção das pessoas e criar conversões psicológicas. Vemos então um bando de pessoas entusiasmadas, gritando, falando em línguas “estranhas”, que debaixo de forte emoção (milimetricamente manipulada por alguns líderes), alegam estarem sentindo a presença de Deus. Tudo muito diferente dos “métodos” utilizados por Pedro no dia em que 3000 homens se converteram, quando este fazia a simples exposição das Escrituras. (Atos 2:37-41)

O “evangelho” do entretenimento apresenta ainda uma pregação triunfalista, cuja ênfase está na necessidade do homem e não na sua condição de pecador. Palavras de ordem são repetidas, como: “Tudo posso naquele que me fortalece!”, “Sou mais que vencedor”, “Pelas chagas de Cristo fui sarado”, sem observar o contexto bíblico nas quais as mesmas estão inseridas. Para os triunfalistas, crente não fica doente, e se ficar é porque está em pecado, ou endemoninhado. Se um crente passar por uma crise financeira, só pode se tratar de um açoite divino. Com base nestas “teorias”, podemos então concluir que o AP. Paulo e Timóteo eram endemoninhados ou estavam em pecado. Veja:

"Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades." (I Timóteo 5:23)

"Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece." (Filipenses 4:11-13)

Talvez, caros irmãos, vocês estejam pensando que estou defendendo o legalismo, mas não. Estou defendendo aqui o retorno ao cristianismo bíblico. Toda interferência humana na pregação das Sagradas Escrituras, gera um "evangelho" sem valor, vazio e inútil.

O "EVANGELHO" ESPIRITISTA:

Nestes últimos tempos (conforme a Bíblia já nos advertia), surgiram alguns falsos apóstolos e falsos profetas que têm tentado enganar, "se possível até os eleitos" (Mateus 24:11,24). Temos visto em algumas igrejas, alguns líderes que têm tentado (guiado por suas próprias mentes), retornar com o período apostólico. São grupos que têm "revelações" e fazem "profecias". Dizem: "Deus me falou", "O Espírito me revelou"; mas será que de fato devemos considerar essas "profecias" como palavras de Deus?
Conta uma história, que em uma pequenina igreja no interior, volta e meia, Deus "se revelava" a igreja por intermédio de profecias e revelações. A igreja tinha o hábito de gravar em áudio as profecias e depois transcrevê-las para um livro. Passado algum tempo, as "profecias" foram encadernadas e passaram a ser usadas nos cultos como uma "segunda bíblia", afinal, Deus falou! Era, assim como a Bíblia, considerada como a palavra de Deus.

"Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema." Gálatas 1:6-8

"Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro;" Apocalipse 22:18

O chamado "evangelho" espiritista tem sido o movimento que mais cresceu no Brasil ao longo dos últimos 20 anos. Quando falamos de "evangelho" espiritista, estamos nos referindo a alguns movimentos pseudo-cristãos, entitulados evangélicos, mas que utilizam subliminarmente práticas espiritistas.

"Vós, porém, besuntais a verdade com mentiras e vós todos sois médicos que não valem nada." Jó 13:4

Temos visto crescer no Brasil, um movimento de médicos que não valem nada. Usam o nome de Jesus, para fins de comércio religioso. Besuntam a verdade com mentiras. Misturam cristianismo com espiritismo. Quantas são as pessoas que deixam o espiritismo, onde faziam despachos, oferendas, e vão para "igrejas", onde passam a fazer "fogueiras santas", carregar rosa "ungida", usar sabonete "consagrado"...

Na macumba, carregavam areia de cemitério, na igreja, sal e enxofre; na macumba, água de abô, na igreja, água ungida; parece que não mudou nada, só o nome do "santo": antes era oxalá, e agora, chamam-no Jesus.
Esses líderes escravizam as pessoas, dizendo que se não der tudo, não é abençoado; ameaçam os crentes com a perda da salvação; enfim, transformam a Graça de Deus num "evangelho" de medo!
Muitos terminam por transformar a igreja em empresa, devido à ganância por dinheiro. O deus destes é o ventre (Filipenses 3:18,19). Em alguns lugares, se pede dinheiro do início ao fim das reuniões. Pregam-se correntes, que acorrentam o povo, ao invés de libertar. Estes movimentos apresentam todos os rituais espiritistas camuflados de cristianismo, como invocação de demônios em cultos de libertação, uso de sal grosso, arruda, palito de churrasco (como "varinha" de Arão), fio de cabelo, e outros.

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade." Mateus 7:21-23

CONCLUSÃO:

O "avivamento" que tem ocorrido no Brasil hoje é heterogêneo, de modo que muitos "evangelhos" diferentes surgiram, trazendo confusão e filosofias humanas para alguns movimentos.
É evidente que muitos outros "evangelhos" não foram citados, pois seria impossível enumerar todas as aberrações que vêm ocorrendo em muitos movimentos cristãos, especialmente os os que se dizem pentecostais e não são.
Temos visto ainda unção com óleo nos genitais (para evitar o "espírito de infidelidade"), o farisaísmo contemporâneo, o movimento G-12 e tantas outras sutilezas que o adversário tem inventado, para enganar o povo de Deus
De qualquer forma, o objetivo do presente estudo não foi criticar pessoas ou líderes, mas derrubar essas ideologias humanas que têm causado grandes estragos a igreja de Cristo nos dias atuais.

"Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim." Atos 17:11

Seria maravilhoso se todos nós adquiríssemos o salutar hábito dos irmãos de Beréia, e examinássemos mais as escrituras para conferir se as coisas de fato são assim.
Todo cristão autêntico, por natureza, critica o catolicismo romano, pela questão da infalibilidade papal. Não aceitamos que o papa seja o detentor de toda a verdade no que diz respeito à correta compreensão das Sagradas Escrituras.
De igual maneira, não faça do seu pastor um papa. Não aceite a infalibilidade pastoral. Seja bereano! Medite acerca do estudo apresentado. Releia. E se quiser discorde! Mas o faça somente se estiver baseado na Bíblia Sagrada, observando as regras de hermenêutica (interpretação correta da bíblia).

A síntese de tudo é que devemos nos conscientizar de que não somos nada, sem Cristo, nada podemos e só existimos pela Sua misericórdia e graça; portanto, deixe de lado tudo aquilo que tenta te engrandecer perante Deus, pois fomos criados para servir e não sermos servidos.

A ele toda glória! Deus nos ajude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário