sábado, 31 de janeiro de 2009

Você tem medo?

“Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo”. Gênesis 15:1.
O sentimento mais comum no tempo presente é o medo. Medo do desemprego, do assaltante, do seqüestrador, da AIDS, do câncer, do simples trombadinha nas ruas da cidade ou de andar com o vidro do carro aberto. Estamos, realmente, na época do medo. Não é possível confiar num desconhecido que passa pela gente na mesma calçada, afinal qual será a intenção dele?

Longe de ser um problema geográfico ou social, o medo prolifera-se nos grandes centros urbanos e também na zona rural, alcança ricos e pobres. Outro dia seqüestraram um rapaz que ganha pouco mais de dois salários mínimos! Vejam só que absurdo. Mas na verdade não quero falar sobre o medo. Afinal, tem muita gente falando sobre isso e artigos sobre o assunto não faltam em todos os jornais e revistas. Se você quiser assistir a uma sessão de proliferação do medo basta ligar a televisão em qualquer telejornal, em qualquer emissora e em qualquer horário, e pronto, o medo será instalado no seu interior.

Abrão foi um homem que acreditou em Deus e pautou sua existência pelos princípios de vida ditados por Ele. Certo dia Deus lhe fez a promessa de proteção através dessas palavras: “Não temas, eu sou o teu escudo”. Talvez você seja uma daquelas pessoas que pensa que Deus não existe, ou se existe, não está muito preocupado com os acontecimentos aqui em baixo. Tudo bem. Respeito o seu ponto de vista! Mas se não confiar nele e na sua promessa de proteção, vamos confiar em quem? Em qual instituição? Será que armas, carros blindados e a própria polícia podem garantir a nossa segurança? São mais confiáveis do que Deus?
O rei Davi, o maior da história de Israel, disse certa vez: “Não temerei mal algum, porque Deus está comigo”. Eu e milhões de pessoas no mundo fazemos coro com Davi. Venha somar-se a nós e acreditar que Deus é o nosso escudo.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

A IGREJA E A HOMOSSEXUALIDADE.

Definição de termos - Homossexualismo: “Relação entre duas pessoas do mesmo sexo com vistas à obtenção do prazer sexual". Pode apresentar-se de várias formas. Pederastia: um homem adulto e alguém bem mais jovem. Lesbianismo: é o homossexualismo feminino. Também chamado de safismo. Lesbos era uma ilha da mitologia grega ocupada apenas por mulheres, que mantinham relações carnais. Safo: A poetisa grega que cantou a existência desta ilha. Sodomia é o intercurso sexual anal. Gay: O termo inglês para "alegre", referia-se aos exageros gestuais e de vestimentas dos homossexuais. Aliás, uma das conotações do termo, em inglês, é "lascivo".

Situação no Brasil - 30 anos atrás: motivo de desgraça. Hoje: Dia do orgulho gay. TV: os personagens humorísticos, como Cinderela, os criados por Tom Cavalcanti e alguns de Zorra total. Tornou-se algo incorporado ao cotidiano. Os homossexuais brasileiros dizem que a taxa no Brasil é de 10%. Não há nenhuma evidência disto. É o famoso "chutômetro". Mas o que aconteceu?

MUDANÇA DE VALORES

Houve uma brusca mudança de valores nos últimos anos, que tornaram alguns comportamentos tidos como anormais em comportamentos normais, hoje. Isto sucedeu por alguns motivos:

(1) A proliferação da pornografia - O erotismo apela aos sentidos. A pornografia, à perversão. Do primeiro passou-se à segunda. O erotismo é uma droga leve que leva à busca de uma mais pesada. A pornografia incentiva orgias e atitudes não normais. Somos uma sociedade submetida à pornografia.

(2) Abolição da censura. A abolição da censura projetou o homossexualismo na mídia. Com isto vieram os exageros. Sofremos hoje do processo da rã na chaleira. Posta em água fervente, ela pula fora. Posta em água fria, ao fogo brando, ela é cozinhada sem sentir. Vai se adaptando até morrer. Estamos nos acostumando ao que antes fora excesso.

Homossexualidade Não é pecado, não é doença
O que a Bíblia diz e não diz Sobre o Assunto?



Igreja Comunitária Metropolitana.

Foi Fundada em 1968, por uma forte comunidade homossexual em conjunto com a conclusão de novos estudos científicos sobre a homossexualidade.
Dia a dia um número maior de escolas bíblicas e teológicas reconhece que as escrituras sagradas não condenam o amor decorrente de relacionamentos homossexuais. E, ainda, que gays e lésbicas devem ser aceitos como eles são nas igrejas cristãs devendo o relacionamento homossexual ser celebrado e afirmado.
A maioria das igrejas cristãs, inclusive a Igreja da Comunidade Metropolitana, acredita que a Bíblia foi inspirada por Deus e nos fornece uma fonte-chave de autoridade para a fé cristã. Portanto, o que a Bíblia nos ensina a respeito de qualquer assunto, inclusive o da sexualidade, é de significado muito grande.

No entanto, o problema é que, algumas vezes, a Bíblia diz muito pouco sobre determinados assuntos; e as atitudes populares sobre tais assuntos são determinadas muito mais por outras fontes, que são então lidas e interpretadas em direção de citações bíblicas. Isto tem sido particularmente verdadeiro com relação à homossexualidade. Mas, felizmente, há pouco, um acadêmico refutou muita destas crenças, suposições e conclusões precipitadas.

As palavras mais lindas no evangelho de Jesus são "qualquer um". Ou seja, as promessas de Deus são destinadas a todo ser humano, incluindo gays. Tragédia é uma Igreja Cristã excluir ou importunar homossexuais. (Mateus 5:19; 10:42; 18:6).

O ser humano foi criado com uma intensa necessidade de relacionamentos pessoais. Nossa qualidade de vida depende de estarmos debaixo do amor que compartilhamos com os outros, seja com a família, amigos e/ou companheiros. Contudo, os homossexuais por causa de atitudes agressivas da sociedade, normalmente têm acesso negado a um relacionamento saudável. O Senhor Jesus Cristo nos chama para encontrarmos significado na vida através de um relacionamento pessoal com nosso criador. Esta importante união espiritual pode trazer cura e força para todos dos nossos relacionamentos humanos.

É NATURAL?

Vez por outra ouve-se a declaração de alguém dizendo que "nasceu homossexual". Não se nasce homossexual. O texto que lemos no inicio diz que: Deus Criou Macho e Fêmea.
Cientificamente falando Homossexualidade não é determinismo Biológico.

Nenhuma Pesquisa Cientifica no mundo comprovou que homossexualismo é determinismo biológico Significa nascer Homossexual. O ser humano tem uma tríade do ser: PSICO, BIO, SOCIAL. Anatomia sexual do homem é diferente da mulher. Homossexualismo é comportamento aprendido. Por imitação, por trauma psicológico derivado de violência ou condicionamento sexual. Além de ser um comportamento aprendido é também um desvio de comportamento, ou seja, um comportamento que não se deveria ter.

É DOENÇA?

Doença também não é. Já estudaram para ver se era doença e comprovaram que não era. Não se pega, não há um vírus, não há uma transmissão.

UMA VISÃO BÍBLICA

A Rejeição Bíblica da homossexualidade está claramente descrita na criação. Gn. 1:27 (Macho e Fêmea)
Jesus Confirmou o principio da criação em Mt. 19:4:5.
Alguns dizem que Deus foi contra o homossexualismo somente no AT.
É condenado no Antigo e no Novo Testamento.
Cinco Razões por que o retrato da criação é fundamental para a questão da homossexualidade na Bíblia.

1. A aceitação da homossexualidade viola a ordem essencial de Deus que criou macho e fêmea.
2. A homossexualidade contradiz o padrão da heterossexualidade.
3. Homossexuais não podem obedecer o mandamento de Deus quanto à procriação.
4. Homossexualidade é uma rebelião consciente contra Deus. É PECADO
5. A Bíblia está repleta de primícias invocando a criação nos seus exemplos.

Antigo Testamento

Jeová é descrito como noivo Fiel - Israel como noiva Fiel / Relação Heterossexual.

Novo Testamento

Jesus é descrito como noivo - A Igreja é descrita como noiva / Relação Heterossexual

Quando a Bíblia fala da Homossexualidade é na ordem da Condenação.

Textos no Antigo Testamento que falam da Homossexualidade.

1. União abominável - Levítico 18.22
2. Crime de morte - Levítico 20.13
3. Visto como abominação - 1Reis 14.24
4. Empecilho à espiritualidade, no avivamento de Josias - 2Reis 23.7

Textos no Novo Testamento que falam da Homossexualidade.

1. 1 Cor. 9:10
2. Rm. 1:23 Diz que a Homossexualidade é fruto do homem se distanciar de Deus.
3. Ap. 21:8 Diz que os abomináveis a sua parte é no lago que arde com fogo e enxofre.

A IGREJA DE JESUS É COLUNA E FIRMEZA DA VERDADE E NÓS ESTAMOS AQUI PARA CONTRARIAR TUDO O QUE É CONTRA A BÍBLIA.
A IGREJA DE DEUS NÃO SE CONFORMA COM ISTO NÃO DEVEMOS NOS CONFORMAR COM ISTO

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

O Amor de Deus I

Via de regra, temos uma concepção errada de Deus. Nós o imaginamos como um SER iracundo, tempestuoso, guerreiro, com uma espada na mão, pronto para matar. Essa concepção vem do berço. As mães acalentando seus filhinhos, lhes infunde na alma terror de Deus. E quando vão as criancinhas crescendo e a fazer artes, as mães começam a ameaçar: fica quietinho, senão Papai do céu fica zangado. E a criança vai crescendo com essa idéia errada de Deus, idéia que vai se arraigando no coração e produzirá os mais amargos frutos na vida toda.

O reflexo dessa concepção de Deus podemos ver no seguinte caso: O grande evangelista do século passado - D. L. Moody conta que pregava na cidade de Chicago, na outra América. Na casa onde pregava, a bico de gás, estava um letreiro em um verso da Bíblia: DEUS É AMOR. O furioso servo de Deus pregou, anunciou a doce nova do amor de Deus pelos perdidos pecadores. Terminou o trabalho e já se preparava para sair, quando nos últimos assentos estava um homem chorando. O pregador se aproximou dele e lhe disse: Amigo, por que chora? Morreu algum parente?

Não! Foi a resposta; está sentindo alguma dor? - Não! Novamente a resposta; alguma palavra de minha mensagem tocou-lhe o coração? - Não! Os hinos que cantamos, feriram-lhe a alma? - Também não! Então, o que foi? Por que chora? E o homem apontando para o letreiro luminoso disse ao pregador: não posso acreditar naquilo, que DEUS É AMOR. Sou miserável pecador! Tenho vivido na lama da degradação, na imundícia do pecado; tenho blasfemado contra Deus; tenho feito mal aos outros; tenho ódio no meu coração; minha alma está em trevas; sou mau; perverso. Não posso crer que Deus ame um homem como eu. E o homem dizia tudo isso chorando. E o pregador teve oportunidade de lhe dizer: Meu amigo, você está certo no que pensa a seu próprio respeito; na realidade você é um grande pecador; como eu também o sou; você é um indigno pecador; sem quaisquer merecimentos, condenado ao inferno. E por outro lado, Deus é justo, bom perfeito, puro, santo. Os dois extremos são exatos; agora o que você precisa saber é que entre a imundícia do seu coração, os seus gravíssimos pecados, a hediondez do seu pecado, e a pureza e perfeição e santidade de Deus, estão os braços abertos do Filho de Deus, que nos une ao Pai celeste e nos religa ao Criador. O Senhor Jesus com uma das mãos toma a nossa frágil mão e com a outra segura a Mão do Pai celestial e realiza o milagre da reconciliação, matando toda a inimizade semeada pelo Diabo.

Em Cristo Deus se esquece de todos os nossos pecados, apaga todas as nossas iniqüidades e lava o nosso negro coração. Ninguém entende isto, mas é verdade; não sabemos como Deus se dignou amar tão miseráveis pecadores, mas ama; não entendemos como o Perfeito e Puro veio à procura do imundo; o Elevado e Grande veio buscar o pobre verme; o Eterno e Poderoso baixou ao mísero mortal; não entendemos isso, mas é a realidade; assim aconteceu; Deus nos amou e nos ama. Fez cair nossa condenação sobre o seu Filho unigênito - Cristo Jesus. O castigo que nos devia trazer a paz caiu sobre Jesus. Ele foi esmagado em nosso lugar. As nossas transgressões denegriram o coração do Mestre. No lenho onde consumava os nossos pecados, sentindo o peso de nossos crimes, exclamou do mais profundo do coração: "Deus meu! Deus meu! por que me desamparaste?" Sentiu-se desamparado pelo próprio Pai naquela hora de vergonha e dor. Depois de Moody ter explicado tudo isto, o homem que chorava recebeu um lampejo dos céus, sua alma foi iluminada, recebeu Jesus como seu Salvador, não procurou ENTENDER, mas ACEITAR a Dádiva de Deus. Aceitou, sua alma foi transformada pela graça dos céus, seus pecados quais grandes montões, todos perdoados, sua alma lavada no sangue do Cordeiro, e experimentou a paz, a doçura do amor de Deus. Os olhos do seu entendimento foram abertos, e passou a ver as maravilhas do Senhor. Louvou ao Deus supremo. Ergueu a cabeça e dos seus olhos vermelhos de tanto chorar, brotaram duas lágrimas de alegria e certeza que lhe iam na alma, agora resgatada pelo sangue do Senhor Jesus.

E é isso, amigo, exatamente isso que Deus fez continua fazendo: ELE NOS AMA, Não adianta procurarmos saber porque ele nos ama. Nunca chegaremos a uma compreensão precisa. Consola-nos saber que ele nos ama, apesar de nossa indignidade, da nossa imundícia; ele nos procura porque quer o nosso bem; quando nos encontra no charco do pecado, perdoa-nos completamente, lavando-nos no sangue do Senhor Jesus; quando nos acha feridos à beira da estrada, pensa as nossas feridas e nos socorre. Realmente, DEUS É AMOR. Ele nos amou de tal maneira, que deu seu Filho Jesus Cristo para morrer na cruz em nosso lugar. Deus te ama, amigo, ama plenamente. Não queres confiar no amor de Deus?

O Amor de Deus II

Alguém disse que assim como uma mãe ama o seu filhinho, mas abomina-lhe a febre, do mesmo modo Deus ama o pecador, mas odeia o pecado. O pecado é o aguilhão do diabo e nada tem com Deus. Pelo pecado, o diabo afastou o homem de Deus. Entre a alma humana e Deus há um abismo intransponível. Esse afastamento do homem é descrito pelo Senhor Jesus na famosa parábola do Bom Pastor.

Na primeira nuança do quadro, damos com a figura principal, que é o homem LONGE DE DEUS, simbolizada na ovelhinha tresmalhada. Um pequeno afastamento do caminho reto, hoje; amanhã mais um pouco e mais um pouco... Entrou por atalhos, deu com barreiras e mais barreiras, com verdadeiros labirintos e finalmente no charco de onde não conseguiu mais sair. Ei-lo então longe de Deus. O Velho Testamento nos conta a respeito de Ló, sobrinho de Abraão. Voltaram do Egito. Houve atrito entre os pastores do gado de Abraão e os pastores do gado de Ló. Abraão viu que a divergência entre os empregados, acabaria por atingir-lhe também, Chamou então Ló e ordenou-lhe que escolhesse para onde ir: se fores para a esquerda, irei para a direita; se fores para a direita, irei para a esquerda. Ló ergueu seus olhos e contemplou as verdes campinas que o fascinaram. Atrás de toda aquela extasiante aparência, estava Sodoma, a cidade corrupta e condenada à destruição. Aos poucos, Ló foi armando suas tendas na direção de Sodoma; aproxima-se hoje; mais um pouco amanhã; e mais um pouco, e quando acordou na realidade, estava dentro de Sodoma; dentro de Sodoma e longe de Deus; dentro de Sodoma e separado de Deus. Meu amigo, a velha história da Ovelha Perdida narrada pelo Senhor Jesus na impressionante simplicidade, objetiva a mesma realidade hoje: O HO-MEM AFASTADO de Deus, longe do aprisco santo da salvação; nas guias do diabo, perdido no pecado enganado,. É o retrato da tua vida, amigo. Estás longe de Deus, longe do teu Criador. Apesar de longe, Deus te ama. Deus pensa em ti, Deus te quer bem e tudo já fez por ti.

Na segunda nuança do quadro, contemplamos um pastor cuidadoso das suas ovelhas. Ao contar, notou falta de uma; tornou a contá-las; falta uma mesmo. O Supremo Pastor acompanha sempre as ovelhas; conhece-as intimamente; sabe-lhes o nome; cuida delas com muita solicitude. Meu prezado ouvinte, tu podes estar longe do aprisco do Senhor; podes estar em grandes e aviltantes pecados; podes estar alheio ao grande e profundo amor do Pai Celestial, mas ele cuida de ti, e por ti vela: ele te acompanha em todos os movimentos. Até quando permanecerás longe do Bom Pastor?

Na terceira nuança do famoso quadro do Senhor Jesus, temos um Pastor PREOCUPADO. Contou as ovelhas; falta uma. E agora, onde estará ela? Longe do aprisco não está segura, não é bom lugar. Está sujeita ao assalto das feras, à pilhagem dos ladrões... Estará ferida e impossibilitada de se locomover? Teria caído num profundo abismo? Que lhe terá acontecido? E a tarde vinha chegando e logo desceria a noite. O Pastor deu-se pressa em deixar as 99 com segurança e pôs mãos à obra na busca da ovelhinha. Não cogitou de rebeldia da ovelha; nem do seu erro em deixar as companheiras e perder-se nas brenhas das montanhas. Pelo contrário, ele se compadeceu dela e da sua triste condição. Não pensou em jantar e nem em descanso; tinha trabalhado afanosamente o dia todo sob sol causticante e estava fatigado. Deixou tudo e foi caminho afora à procura da ovelhinha perdida. Subiu montanhas, atravessou valados, vadeou riachos, penetrou abismos e andou, andou muito; não mediu esforços; expôs-se aos perigos, ao ridículo, à humilhação; não importa o que importa é a ovelhinha. Levava no seu coração uma preocupação: estará ela viva ainda? Encontrá-la-ei sã? E o Bom Pastor trabalhou a noite toda no encalço da ovelha querida. Notemos bem, o Pastor deixa tudo, isso já é sacrifício; deixou o lugar seguro e foi atrás da ovelhinha, isso é esforço; procurou a ovelha e procurou mesmo, isso é diligência; procurou a ovelha mais e mais e em todas partes, isso é persistência; arriscou sua vida para descobrir a ovelha, isso é amor. E não foi isso o que o Senhor Jesus fez por nós, miseráveis pecadores? Jesus suspira ainda hoje por ti amigo, que és uma ovelhinha perdida...

Na quarta nuança do quadro, damos com a descoberta da ovelha. É uma hora alegre, emocionante. O Pastor tomou nos seus ombros a ovelhinha, afagando-a ao peito. Recuperou-a com vida. Estava satisfeito. E o Senhor Jesus anda à procura de ovelhinhas perdidas. Ele quer descobrir-te, amigo, ainda hoje. Ele anseia por ti.

E a última nuança do quadro apresenta a festa que o Pastor proporcionou aos amigos, pela recuperação da ovelhinha querida. E o Senhor Jesus disse "que maior júbilo há no céu por um pecador que se arrepende do que por 99 justos que não necessitam de arrependimento". É o amor de Deus!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Dançando na Igreja do Senhor

A dança é um ministério de adoração que tem se levantado em algumas igrejas, mas, como é comum no meio evangélico virou “moda” e praticamente todas as igrejas dispõe de dançarinos de plantão.

Eu não sou contrário à existência da dança; creio plenamente que o Espírito de Deus tem feito uso desta forma de expressão corporal para honrar e glorificar ao Todo Poderoso. E, quando esta adoração é externada com temor e amor, o nosso Espírito alegra-se profundamente ao contemplá-la.

A infidelidade, incredulidade e a conseqüente falta de santidade de muitos povos (igrejas), impossibilitam o mover do Espírito Santo, resultando em cultos desprovidos da verdadeira unção que alimenta a alma. Para saírem desta situação, lançam mão, copiando, toda sorte de movimento. Esquecem que é o Espírito de Deus que derrama o óleo e estas práticas desprovidas de unção, são inconsistentes, sem valor diante de Deus.

Amados líderes, é preciso ouvir a voz do Espírito Santo, consultá-Lo e conhecer a Sua vontade para a igreja; não tome decisões segundo a sabedoria e ou entendimento humano. Afinal, a Igreja é do Senhor Deus que enviou o Espírito Santo a edificá-la. Se houver aprovação do Senhor quanto à existência de um ministério de dança, alguns pontos devem ser observados pelos que serão ungidos.

1- Amor a Deus:

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento”. Mt 22.37

A nossa condição de servos obriga-nos a sermos desprovidos de vontade própria e sujeitos ao domínio integral do Senhor Deus. Isto significa: Primeiro à vontade de Deus e em segundo plano e em conformidade com os princípios divinos, o nosso querer.
Esta condição é tão real, que o próprio Jesus, quando homem, submeteu-se por completo aos desígnios do Pai, a direção de Sua vida não estava mais sob seu controle.
Ele disse: “Pai, se queres, afasta de mim este cálice de sofrimento! Porém que não seja feito o que eu quero, mas o que tu queres”.
(Lc 22.42)
Esta sujeição incondicional era fruto do grande amor do Senhor Jesus, primeiro para com o Todo Poderoso e também pela humanidade que caminha a passos largos em direção à perdição eterna.

2- Temor a Deus: Coração sábio.

“Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus, o SENHOR. Ele dá compreensão aos que obedecem aos seus mandamentos. Que o SENHOR seja louvado para sempre!” (Sl 111.10)

Temor a Deus significa que devemos possuir sentimento de reverencia e respeito, ao contrário do que pensam alguns, ao associar temor a medo. É inconcebível que vidas impuras, desprovidas de santidade possam tomar lugar no desempenho da obra do Senhor. A falta do temor abre brechas através das quais, o maligno infiltra-se e as obras da carne ganham espaço. As pessoas que deveriam ser adoradores tornam-se “dançarinos”, ávidos pelos elogios, sentem prazer quando são glorificados por fazerem bem as coreografias.
... Como é que vocês podem crer, se aceitam ser elogiados pelos outros e não tentam conseguir os elogios que somente o único Deus pode dar?... Se eu elogiasse a mim mesmo, os meus elogios não valeriam nada. Quem me elogia é o meu Pai...” (Jo 5.41,44;8.54)
Movido pelo amor e temor, Jesus despiu-se da glória celeste, colocando-se apenas como instrumento nas mãos de Deus, para ser útil ao Reino, Ele dispensou os elogios, veja: “Eu não procuro ser elogiado pelas pessoas” (Jo 5.41)

3- Santos e Puros:

“Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus”. (Rm 1:1)

A exemplo de Paulo, somos chamados para fazermos a obra do Senhor Deus, em diversas áreas no Reino. Separados para a honra e glória do Senhor. Consciente desta condição é preciso que haja uma adequação da vida ao viver definido por Deus. Você foi chamado pelo Espírito Santo para integrar o ministério de Louvor? Pregação da Palavra? Líder na igreja? Oh graças! És bem-aventurado!
O mandamento é: Seja Santo! A santidade nos proporciona:
-A oportunidade de participarmos das mesmas idéias do Senhor.
-Termos intimidade profunda com Ele.
Quando isto é uma realidade, a nossa alegria é glorificá-Lo com os nossos atos.
Os frutos da carne: “... a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com essas”. (Gl 5.19-21) São inexistente na vida que procura ser santa e pura.

Irmão, leia com atenção esta mensagem, reflita sobre a tua situação com o Senhor, e jamais permita que sentimentos de orgulho, a soberba e a vaidade penetrem em teu coração, roubando o lugar que é exclusivamente do Senhor. Você é ungido a adorar através da dança? Faça isto com perfeição, com satisfação e com todas as tuas forças, para que o Senhor veja e aprove, recebendo como aroma suave a tua adoração. Não permita que a carne sobressaia e queira ouvir dos irmãos palavras afáveis; não tome a glória do Senhor para si.