domingo, 22 de fevereiro de 2009

Blocos evangélicos."Evangelização ou astúcia de satanás?"

As Escrituras Sagradas não dão amparo algum para a inconseqüente iniciativa da igreja católica na tentativa de cristianizar o carnaval, justificativas foram apresentadas pela igreja, as mais inconseqüentes e infelizes. O Carnaval é um exemplo real da sobrevivência do paganismo, com todos os seus elementos presentes. É a explícita manifestação das obras da carne: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, glutonarias e coisas semelhantes. O apóstolo São Paulo em sua carta aos Gálatas 5:19-20 declara inequivocamente que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.

É incrivel como vem se alastrando dantescamente os chamados blocos evangélicos. Blocos esses que levam atrás várias pessoas que se dizem cristãos. A verdade é que aqueles blocos estão servindo para disfarçar a vontade de alguns crentes e pastores que se infiltram no meio da folia dizendo que é para evangelizar as pessoas e tirá-las do meio do mundo, há aqueles que ainda contratam trios elétricos e pulam como se estivessem tirando a capa que fica sobre eles durante o resto do ano dentro da igreja.

Em Ezequiel 44:23 está escrito: “E a meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o impuro e o puro.” Sendo o carnaval a expressão máxima daquilo que é profano, daquilo que é abominável aos olhos do Senhor, não é então prática para os santos que já foram alcançados pela maravilhosa salvação do nosso Deus participar. É claro que temos que ensinar o povo não alcançados a distinguir entre o santo e o profano, mas fora da lama, sem participar da profanação, sem fazer quorum com essa orgia depravada, há muitos lugares, onde durante o ano, que os servos do Senhor Jesus podem ensinar para os que ainda estão debaixo dessas avalanches. Há quem justifique como estratégia evangelística a participação efetiva na nefanda festa do carnaval, desfilando com carros alegóricos e blocos “evangélicos” o que não deixa de ser uma tremenda associação com a profanação, é a mistura do santo com o profano sob pretexto de evangelização. Pergunta-se então: será que deveríamos freqüentar a boates gays, sessões espíritas e casas de massagem, a fim de conhecer melhor a ação do diabo e investir contra elas?

Como se já não bastasse a forma com que satanás com seus adeptos, procurassem ultrajar, vilipendiar o ano inteiro, àquEle que sem reclamar deu Sua vida para salvação do mais vil pecador, parece que nos dias de carnaval esse astuto usurpador, como se estivesse fechando o balanço do inferno, procurasse arregimentar todos os demônios do inferno, a juntar-se com todos os oprimidos da terra, para uma blasfêmia sem precedentes e sem medidas, contra tudo que é de Deus, contra tudo o que é Santo. Procurando sem sucesso a denegrir a Igreja de Deus. Atentando contra a Célula Mater da sociedade que é a família, essa instituição Divina, instituída ainda no Éden, pelo próprio Deus e sem o auxilio de oprimido nenhum, e que Deus tem primado por sua preservação em todas as dispensações, e hoje esse inimigo audaz tem tentado por todos os meios a acabar com ela; durante o ano, as pessoas que mais se projetam na sociedade através da Televisão, parece não ter mais nada a apresentar a não ser vilipendiar a família, culminando, fazendo um fechamento infeliz no carnaval. Mulheres que se desnudam em plena via pública, diante das câmeras para o mundo inteiro, induzindo as crianças à sexualidade precoce, e promíscua, às drogas, à falta de respeito, à violência e enfim à morte precoce.

Nenhum comentário:

Postar um comentário