quinta-feira, 30 de julho de 2009

Você anda desanimado?

Num museu norte-americano existe uma picareta corroída e velha que pertenceu a um pesquisador de ouro. Ele tinha chegado à conclusão de que em certo lugar havia um filão de ouro. Durante anos trabalhou sem descanso para localizar o tesouro escondido.

Finalmente, desanimado, atirou a picareta que se enterrou no solo e comentou: "Este é o fim", e abandonou o trabalho. Passados anos descobriu-se um filão de ouro a quatro metros da picareta abandonada. Entretanto, o explorador morrera e a picareta jazia quase desfeita. Tivesse combatido o desânimo, seria rico.

O desalento não é apenas fruto da nossa época. Há muitos séculos o rei Davi sentiu-o, mas soube vencê-lo: "Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, na salvação da sua presença" ( Sl 42.5 ). Os seus inimigos diziam-lhe constantemente: Onde está o seu Deus? Quando começou a olhar para o alto, alcançou a paz de Deus para a sua alma perturbada.

Se Davi encontrou ajuda, também nós no século XX a podemos encontrar. Deus tem um plano para você. A Bíblia nos afirma que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. Quando você atravessar águas profundas na vida espiritual, em busca da vontade de Deus, lembre-se de que as estrelas só brilham de noite. Às escuras é que se aprecia a sua beleza. Saiba como vencer o desânimo, num processo de intimidade com Cristo Jesus.

Eu sou pobre e necessitado; mas o Senhor cuida de mim: tu és o meu auxilio e o meu libertador; não te detenhas, ó meu Deus. Sl 40.17

Não desanime, Deus tem cuidado de você.

Deus te abençoe!

Escravos das superstições.

Dia 13, sexta-feira, agosto. Um gato preto poderá aparecer no telhado de sua casa; a coruja branca poderá lançar seu grito de morte; os mortos poderão sair de suas sepulturas e caminhar pelas ruas de sua cidade. É hora de consultar os horóscopos, quebrar as maldições, ouvir os tarôs e, principalmente, não de casa.

Sorte ou azar, bênção ou maldição?

Certas crendices e superstições são barreiras que impedem as pessoas de conhecerem as Escrituras e o poder de Deus. Por não estarem com suas vidas no Altar, colocam sua confiança em objetos ou na adoção de determinadas atitudes pessoais, que, acreditam, podem trazer bênção ou maldição:

Gato preto é agourento; usar uma figa produz bênçãos; passar por baixo de escada traz maldição; usar determinada camisa, sapato ou meia, em determinada ocasião, dá sorte; sapato virado ou camisa pelo avesso causa coisa ruim; entrar com o pé direito em qualquer lugar garante o sucesso; o uso de pirâmides produz energia positiva; sair pela mesma porta que entrou consegue-se bons resultados; cruzar os dedos e bater na madeira isola o fracasso; passar por cima de pessoas deitadas causa morte; sexta-feira, dia 13, é dia de maldição para uns, e de bênçãos para outros; uso de sal grosso afasta a malignidade; fitinha amarrada no braço dá sorte; reza de benzedeira cura quebranto de criança; consultar diariamente o horóscopo ajuda a tomar atitudes corretas; consultar regularmente os tarôs e as cartomantes garante o sucesso na vida; as velas iluminam as almas que estão nas trevas; em casa defumada o diabo não entra; o canto da coruja rasga mortalha é morte na certa. "Quanta baboseira"

Veremos o que diz a palavra de Deus:

"Não deis ouvidos aos vossos profetas, aos vossos adivinhos, aos vossos sonhos, aos vossos agoureiros e aos vossos encantadores" (Jeremias 27.9).

"Quando vos disserem: Consultai os médiuns e os feiticeiros que chilreiam e murmuram entre dentes, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? Acaso a favor dos vivos se consultarão os mortos?" (Isaías 8.19).

"Mas, quanto aos medrosos, incrédulos, abomináveis, homicidas, adúlteros, feiticeiros, idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, que é a segunda morte" (Apocalipse 21.8).

"Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32)

"Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (João 8.36)

“Não há encantamento contra Jacó, nem adivinhação contra Israel! (Números 23.23)”.

"Todo aquele que é nascido de Deus, não vive pecando; antes o guarda, Aquele que nasceu de Deus, e o maligno não lhe toca" (1 João 5.18).

“O Espírito do Senhor está sobre mim, pois que me ungiu para pregar a liberdade aos cativos, restaurar a vista aos cegos [espirituais] e pôr em liberdade os oprimidos” (Lucas 4.18-19).

“Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus” (Mateus 22.29).

A grama do vizinho é mais verde que a minha.

Caros irmãos, antes de criticar a foto da postagem, leiam a mensagem com apreço. Você já ouviu sobre o mito da grama mais verde? É aquela velha máxima de que a grama do vizinho é mais verde que a minha. Parece que nossa sociedade tem incentivado essa idéia com todas as suas forças, porque é, primordialmente, uma sociedade de consumo. Logo, tudo precisa ser descartável para manter-se o ciclo do novo que está sendo produzido, mesmo no campo emocional-relacional. Pensando em seu casamento, por exemplo (mesmo que já tenha acabado).

Hoje, enquanto os casais estão sendo estimulados a lançarem seus olhares ao redor, procurarem um objeto de desejo e compará-lo à realidade existente em casa, os relacionamentos estão decaindo vertiginosamente!

HOMENS: Olhamos para outras mulheres buscando saber o quanto pudemos ter errado ao escolhermos nossa parceira.
MULHERES: Olham para outros homens buscando saber o quanto puderam ter errado ao escolherem o seu parceiro.

Será que você escolheu certo? Será que o seu cônjuge está "à altura" de sua inteligência, beleza, desenvoltura, capacidade de perdoar, humildade, etc.?

É claro que sempre encontraremos alguém mais bonito ou atraente que nossa esposa (nosso esposo)! Sempre encontraremos alguém, com o qual não convivemos no dia-a-dia, que parecerá mais adequado, mais atencioso, mais parecido conosco, mais "pedra preciosa" do que realmente é! Mas é verdade, também, que um grande número de casais se "aventura" no relacionamento conjugal sem aperceber-se que estão saindo para uma jornada a dois, uma viagem que só terá sucesso se for realizada a dois, um relacionamento que será construído dia após dia a dois, enquanto os defeitos forem florescendo juntamente com as virtudes. Será essa a hora de reafirmarem seu amor e seu compromisso mútuo. Será preciso separarem o joio do trigo. Estes parecem-se tanto enquanto estão se desenvolvendo, mas distinguem-se com extrema clareza quando chega a hora da colheita. O joio não pode produzir algo bom, produzir fruto aproveitado, não pode acrescentar algo à vida humana. Entenda, se você ficar expandindo sua "plantação de joio" sufocará seu relacionamento! Por outro lado, se semear mais e mais trigo poderá edificar sua casa de uma maneira sábia, estimulando, aperfeiçoando e protegendo o amor que alimentará vocês nos dias mais difíceis e, também, nos dias mais aprazíveis da jornada a dois!

Pare de levar prá casa só amargura, irritação, problemas do trabalho, da faculdade... Pare de receber o outro reclamando e fazendo um buraco novo em cada trecho do caminho de sua viagem a dois. Busque renovar seu relacionamento com expressões claras e práticas de amor, leve e compartilhe alegria com seu cônjuge, procure ouvir o que o coração dele está falando, retome e amplie o ambiente de sedução pura dentro do casamento.

Mas o que é mais importante: essas atitudes tornam-se muito mais fáceis quando Deus está presente em seu cotidiano, quando você o convida a fazer parte de seu relacionamento. Depois de fazê-lo, prepare-se! Virão emoções arrebatadoras pela frente, basta você querer e fazer a sua parte! Sua grama voltará a ser mais verde que a do vizinho!

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes de vida... Pv. 4.23.

Pense, pondere cada passo que você der e que seus caminhos sejam retos.
Bem, chegou a hora de você afirmar: "Quero convidar Deus para dirigir meu relacionamento e minha vida. Sei que minha grama é mais verde, meu jardim tem mais flores, meu amor é mais fiel e mais intenso do que nunca!" É bom falar isso para a pessoa certa! Vá firme, você verá como sua jornada com Deus e seu cônjuge se tornará uma beleza!

Deus te abençoe!

E você, é intercessor?


A indústria cinematográfica tentou ressuscitar alguns filmes de "bang-bang". Os atores são diferentes, mas a trama é a mesma. A cena de enforcamento ainda pinta os homens maus tirando a vida de vítimas inocentes e até se divertindo realmente com isso. Palavras penetrantes, ditas para ferir, acompanham o evento medonho. A que nível as pessoas podem chegar?

Pode ser que você tenha sido profundamente ferido por palavras e ações de outros. Como você lida com isso? Como você trata a traição por um amigo íntimo? Como você reage a uma carta anônima? A resposta depende da condição do coração. Que melhor coração para servir de modelo para nossa vida do que o de Jesus Cristo?

Numa quente manhã em Jerusalém, Jesus sofreu profundas lacerações, causadas pelo açoite e pelos pregos, e teve que sofrer severo abuso verbal de uma multidão de curiosos que incluía os soldados. A crucificação, no oriente, era pior do que um enforcamento no oeste. Em vez de procurar vingança ou exigir desculpas, ele falou em defesa deles. Não era incomum uma pessoa crucificada falar na cruz; mas suas palavras eram geralmente selvagens expressões de dor, rogando pela libertação, maldições contra Deus ou julgamentos sobre aqueles que tinham causado seus sofrimentos. Ele orou: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Lucas 23:34).

Admirável! Essa oração era tão incomum que levou um criminoso notório, que estava sendo crucificado próximo a Jesus, a mudar totalmente sua disposição em favor do Cristo. Esta exclamação pode certamente causar feridas emocionais, rancor e ressentimentos parecerem infantis.

Esta oração provou a íntima e habitual comunhão de Jesus com seu Pai. Foi porque a oração era a linguagem natural do Salvador que ela saltou a seus lábios ressecados nesse momento. Seu Pai era uma parte inseparável de seu coração. Justo quando parecia conveniente retirar-se de Deus ou imaginar se ele sequer estivesse por perto, Jesus orou ao Pai. Jesus afirmou o tipo de coração que é necessário para segui-lo, que reflete seu próprio coração: "Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me" (Lucas 9:23). Buscar a si mesmo é o oposto de negar-se a si mesmo. É a raiz do problema da nossa inclinação para o pecado. As massas egoístas seguem o caminho que Pedro descreveu: "...especialmente aqueles que, seguindo a carne, andam em imundas paixões e menosprezam qualquer governo. Atrevidos, arrogantes, não temem difamar autoridades superiores" (2 Pedro 2:10).

"Perdoa-lhes" é uma oração de intercessão. É mais fácil orar muito por si mesmo do que fazer isso por outros. Isso exprime eloqüentemente a solicitude de um pelo bem-estar de outros, sejam parentes, amigos ou inimigos. Jesus mantinha uma mente submissa que pensava, servia e sacrificava-se pelos outros, para a glória de Deus, e não para ganho pessoal (Filipenses 2:5-11).

Uma pessoa injuriada geralmente se importa somente com seu próprio lado da situação, e vê somente aquelas circunstâncias que tendem a colocar a conduta da outra parte sob a pior luz. Não Jesus. Seu entendimento claro do perigo a que a culpa deles os expunha fez com que ele atentasse, não para sua própria dor, mas a reverter o destino horrível da multidão de linchadores. Orando por seus inimigos, Jesus estava capacitado a reprimir ao desejo natural de vingança e ter uma paz imperturbável. Ele orou por eles para que tivessem tempo para se arrependerem de seu crime horripilante. Eles mereciam um julgamento imediato. Aconteceu? Não. Jerusalém foi destruída, como Jesus tinha predito, mas não antes de quarenta anos após a sua morte; e neste ínterim o Espírito Santo veio e os apóstolos começaram a pregar o perdão dos pecados (Atos 2:16-38).

Estão perdoados os seus pecados? Você pode amar uma multidão de linchadores como Jesus fez? Perdoando assim, o ofensor nunca entenderá plenamente o que eles fizeram você passar; eles nunca serão capazes de pagar pelo que tomaram de você (ainda que possam fazer uma nobre tentativa), e nunca saberão plenamente como você se sentiu. Em que base você pode fazer isso? "Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou" (Efésios 4:32).