quinta-feira, 29 de abril de 2010

Parabéns as borboletas

Diante das tantas lutas diárias enfrentadas por essas mulheres de Deus, este blog parabeniza as borboletas da Igreja do Nazareno. Mulheres que saíram dos seus lares com um único propósito de edificar-se ainda mais na palavra de Deus e contemplar um pouco do que Deus tem guardado para mulheres sábias que edificam seus lares sob a obediência do Senhor.


O cursilho da igreja do nazareno propõe a mulheres e homens o prazer de conhecer “melhor” o Senhor, bem como desfrutar de bênçãos e sentir um renovo transbordante que o Senhor Jesus lhe dá. Uma igreja com o propósito de capacitar e edificar casais, ensinar a homens e mulheres a palavra do senhor tem o respeito e a dignidade de ser chamada “Corpo de Cristo”.

Não existe mágica, invocação a espíritos, feitiçaria, misticismo, ritual a divindades nem segredo algum, é apenas dedicação de quem fica por trás deste trabalho e muito jejum e oração. É DEUS PURO.

Eu como marido de uma dessas borboletas fico constrangido com o amor que Deus colocou no coração dessas mulheres, pois antes enxergavam a si mesmas, olhavam apenas para seus próprios pés, faziam as tarefas diárias talvez por obrigação, mas hoje, ah se com minhas palavras pudesse expressar...

Sinto-me hoje em dia um príncipe em seu nababo, um homem, dentro de seus defeitos e qualidades, AMADO. Se você ama sua esposa ou seu esposo, não se envergonhe de demonstrar isto, de provar isto, de mostrar nas pequenas coisas. Na capacidade de servir-lhe. Há mulheres que são incapazes de fazer um cafezinho para o marido (“ele que se vire”) e maridos que são incapazes de lavar a louça (“isso é coisa de mulher”). Que pena! Como perdem! Repartir significa partir e não impor.

Erra a pessoa que tenta produzir um clone seu no matrimônio. Esta não é a melhor política.
É óbvio que os dois terão que ceder, mas não na base da cobrança, e sim na do instinto, de saber até onde pode ir e o quanto deve ceder. É uma cessão que tem seu grande mérito quando é feita por amor à pessoa.

Não canso de parabenizar a Igreja do Nazareno pela preocupação que esta obra tem com os casais em geral, pois sabemos que satanás tem investido muito nesta área e que a base da família é um casamento edificado no Senhor. Diante das tantas maravilhas e transformações agraciadas pela minha esposa, só tenho que agradecer primeiramente á Deus e depois a esta obra levantada por Deus “Igreja do Nazareno” para edificar e servir de instrumento de Deus para capacitar casais.

Agradeço também a minha cunhada Neide por se deixar ser um instrumento de Deus, bem como seu marido Alberto por sempre estarem empenhados e trabalhando na obra de restauração de casais. Louvo a Deus por suas vidas.

Ricardo André

terça-feira, 6 de abril de 2010

O Professor da EBD

É incrivel como a evasão escolar dominical está crescendo a cada dia. Tentaremos mostrar alguns motivos pelos quais alguns irmãos não vão à escola dominical:

1º Preguiça: Perguntado a vários irmãos e irmãs que tenho mais aproximação, os tais me responderam "Ah irmão Ricardo, eu tenho muita preguiça de me acordar cedo". Como se 9 horas fosse cedo.

2º Desmotivação: Outros dizem que durante a semana os obreiros não incentivam os irmãos a irem à escola dominical e que a escola dominical é sempre a mesma coisa, não tem nada de diferente, e isso desmotiva os mesmos.

3º Falta de preparo dos professores: Alguns dizem que os professores da escola dominical são muitos despreparados, pois só fazem ler o que está na revista e fazem comentários mixurucas, não inovam e não entram fundo no estudo, lêem e repetem o que está escrito.

4º Formalismo da escola: Dizem que estão cansados do formalismo e da pragmática litúrgica das EBD's. Os Obreiros não se importam mais com a participação de todos de uma forma geral e com a interação do aluno com o assunto no comentário final.

Caros irmãos, verdadeiramente alguns comentários até que têem fundamento, porém outros são de extrema falta de interesse pela obra e pelo estudo. Sabemos realmente que alguns professores da EBD são altamente despreparados e estão alí só para tapar buraco, ou então porque são colegas mais próximos de pastores presbíteros e etc.  Chegam a ser até ridicularizados pelos alunos, que no final da escola ficam fazendo comentários sobre o seu raso conhecimento do assunto.

Sabemos que a escola dominical é o maior seminário teológico do mundo, mas como um seminário pode ter professores despreparados e desqualificados para nos ensinar? O apóstolo Paulo foi bem claro a Timóteo quando disse "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." II Tm 2.15.

Lendo e meditando neste versículo fico me perguntando: Você confiaria sua casa a um pedreiro que não maneje bem a colher de pedreiro? Vamos supor que você esteja com apendicite. Você confiaria sua saúde a um médico que não sabe fazer uma cirurgia? Você confiaria seu cabelo a uma cabeleireira que não sabe nem sequer fazer uma chapinha bem feita? Você confiaria seu carro a uma pessoa sem habilitação? Esse é "um dos" principais motivos da evasão escolar dominical, o despreparo de alguns professores que não manejam bem a palavra e não incentivam os alunos a estudarem cada vez mais. Fazer a diferença pode ser o foco. Porém sabemos que o verdadeiro culpado é o próprio aluno que não tem compromisso com a obra.

Nossos professores da EBD, além de serem pessoas dedicadas ao ensino, precisam ter uma formação mais ampla, para que possa atender às demandas, na igreja local, por parte de um alunado cada vez mais exigente, em termos de conhecimento e cultura, sem perder a visão de que é um servo de Deus, que necessita extritamente da graça de Deus.

Quem ensina é professor, é mestre. “Deus deu uns para apóstolos....e outros para pastores e doutores” (Ef 4.11). Para ter esse manejo, é preciso que o professor tenha certos cuidados:

1) Ser um leitor persistente e estudioso da Bíblia (1 Tm 4.13)
2) Ser dedicado ao ensino (Rm 12.7b).
3) Ser um leitor de bons livros apologéticos (2 Tm 4.13).
4) Procurar conhecer versões variadas da Bíblia.
5) Utilizar dicionários, concordâncias e enciclopédias bíblicas.
6) Ser um leitor de revistas, jornais, e periódicos (evangélicos e seculares).

 Embora não seja indispensável, seria interessante que o professor da EBD, tendo condições, fizesse um Curso Teológico. Nele, não se faz um excelente professor da EBD pois este é feito por Deus. Contudo, o curso dá uma visão ampla do estudo sistemático da palavra de Deus, a partir da Teologia Sistemática e suas divisões; da Hermenêutica, da Homilética, da História da Igreja, da Geografia Bíblica, Ética Pastoral, Didática, Psicologia, etc...
 
Talvez esse já seria um grande passo para o fim da evasão escolar dominical.

Crédditos da imagem: pibvcsalvadorjesus.com