domingo, 29 de agosto de 2010

QUERO ORAR PARA ME MOSTRAR

Orai sem cessar. I Ts 5:17. Sabemos que diante desta exortação dada pelo Espírito Santo nas santas escrituras temos a obrigação como cristãos de nos comunicarmos cada vez mais com Deus, mas como será essa oração? Será que devo orar em voz alta ou em voz baixa? Será também que devo gritar ou me mostrar para os meus irmãos e para o ministério da igreja para que eles saibam que eu sei orar? Finalmente, como deve ser a minha oração?


Sabemos que, como tudo na vida, é preciso ter sabedoria, bom-senso e equilíbrio nessa prática, a fim de não escandalizar ninguém. Mas sabemos que infelizmente algumas pessoas fazem isso para ter o seu galardão aqui na terra. Algumas pessoas dizem que a oração em voz alta tem o seu valor e a oração em voz baixa é mais prudente, o que dizer das duas orações?

Vemos aqui algumas divergências de opiniões em orar em voz alta e orar em voz baixa, mas o que verdadeiramente gostaria de saber é o porquê do motivo de orar “GRITANDO”. Vejo alguns irmãos que quando em uma reunião são chamados para orar, ou na igreja quando chamados pelo ministério para fazer o mesmo, só faltam esgoelar-se e entrar em desespero, não consigo encontrar uma explicação bíblica ou emocional pra tal ato.

Há pessoas que dizem que oram alto porque essa atitude "amarra" as intenções e ações demoníacas. É hilário esse tipo de explicação. São inúmeros, e chegam ser até ridículos algumas explicações para definir tais atos, veremos abaixo algumas explicações para tais gritarias:

1. Existe poder em gritar : o poder de criar ou destruir. Deus usou este poder quando disse: "Haja Luz." (Veja que a Bíblia em Gn 1.3 mostra: “E disse Deus” e não “E gritou Deus”)

2. Orar gritando faz o Diabo escutar e fugir. (E o sentido da oração é pra quem escutar, Deus ou o Diabo?)

3. Paulo curou um coxo gritando em voz alta, e aí? (Na verdade não foi Paulo quem curou e sim o poder de Deus pela fé do coxo, Paulo foi apenas o canal de benção, e em At 14.10 mostra que Paulo “disse” em voz alta e não “gritou” em voz alta)

4. Depende das ocasiões. Quando oro em grupo com outros irmãos em encontros oro em voz alta quase gritando para os irmão escutarem melhor, mas quanto oro individualmente, oro em silêncio. (Ou seja, oro para meus irmãos escutarem e não Deus)

Quero salientar que orar em voz alta nada tem de errado, mas o “GRITAR”, esse sim não tem fundamento bíblico. É o gritar que me refiro e não o orar em voz alta. Quando a Bíblia se refere à voz alta, quer dizer em falar com som audível um tom acima do normal. Querem ver o exemplo do que me refiro a gritar? Assistam ao vídeo abaixo:



Procuro entender o que é isso. Unção? Derramamento do Espírito? Fogo de Jeová? Rétété? Descontrole emocional? Falta de entendimento? Meninice? O que é isso? Sabemos que o culto é racional e que seja decentemente e com ordem, verdadeiramente não é isso que vemos por aí. Cultos Marcosfelicianistas são mais que normais para alguns crentes despreparados e sem discernimento espiritual. Sabemos que este tipo de movimento gritante está cada dia mais popular com as novas igrejas reformadas de hoje em dia, ensinando que o novo convertido deve cada dia mais gritar e gritar. Vi certo pastor exortando a igreja a clamar cada vez mais alto, se não fosse assim o Senhor não escutaria. Alguns pastores distorcem o verbo “clamar” de “gritar”, empobrecendo uma tradução e um entedimento bíblico correto. É isso que vemos hoje em dia.

Que o nosso culto ao Senhor seja cada dia mais racional, porém com a verdadeira adoração.

domingo, 1 de agosto de 2010

DANÇA DO QUÊ ?



Sem querer tornar-me repetitivo, mas continuo dizendo que achava que ja tinha visto de tudo na igreja, mas vejo que a cada dia me surpreendo mais com o que alguns ministros do evangelho deixam acontecer na igrejas.

Com o argumento sofístico de trazer mais jovens para a igreja, alguns pastores envergonham o verdadeiro sentido do evangelho, e o verdadeiro sentido do evangelho não é plagiar músicas que incentivam a lascívia e a imoralidade.

Fico pensando o que alguns pais da igreja achariam da "Dança do Céu" cantada na igreja como hino de louvor e adoração ao Senhor. O que os Pais da Igreja Primitiva (a exemplo de Inácio, Policarpo, Clemente, Barnabé e também o Didaquê) achariam depois que ensinaram a doutrina cristã e defenderam o Cristianismo contra as heresias.

Será que a palavra de Deus verdadeiramente pregada é tão insuficiente para alguns, que os leva a querer inovar os preceitos excelentes que a Bíblia nos oferece? É bom pensarmos nisto.

Faço minhas as palavras de Irineu de Lyon:

"De nada mais temos aprendido o plano de nossa salvação, senão daqueles através de quem o evangelho nos chegou, o qual eles pregaram inicialmente em público, e, em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé"

Leia, medite, incentive, pregue e viva a suficiência das escrituras sagradas. Sola Scriptura.