quarta-feira, 13 de abril de 2011

Ritual de iniciação maçonico

O profano (iniciante) aproxima-se lentamente com osolhos vendados. Ao entrar na loja, o irmão “experto” toca-lhe o peito com aponta de uma espada. Então, segue o seguinte interrogatório.

O Venerável pergunta:
– Vês alguma coisa, senhor?

A resposta do profano é imediata:
– Não, senhor.

O Venerável prossegue:
– Sentes alguma impressão?

Profano:
– O contato de um objeto aguçado sobre o peito.

Venerável:
– A arma cuja ponta sentes simboliza o remorso quehá de perseguir-vos se fordes traidor à associação a que desejais pertencer. Oestado de cegueira em que vos achais é o símbolo do mortal que não conhece aestrada da virtude que ides principiar a percorrer. O que quereis de nós,senhor?

Profano:
– Ser recebido maçom.

Venerável:
– E esse desejo é filho de vosso coração, sem nenhumconstrangimento ou sugestão?

Profano:
– Sim, senhor.

Venerável:
– Previno-vos, senhor, que a nossa ordem exigirá devós um compromisso solene e terrível... Se vos tornardes maçom, encontrareis emnossos símbolos a terrível realidade do dever.

Depois de submetido a muitas indagações, o profano éconduzido ao altar dos juramentos e ajoelha-se com o joelho esquerdo, pondo amão direita sobre a constituição e a Bíblia, que devem ter em cima a espada. Àmão esquerda, o profano segura o compasso, apoiando-o no lado esquerdo dopeito. Daí, todos se levantam e ouvem o seguinte juramento:

“Eu, (nome), juro e prometo, de minha livre eespontânea vontade, pela minha honra e pala minha fé, em presença do SupremoArquiteto do Universo, que é Deus perante esta assembléia de maçons, solene esinceramente, nunca revelar quaisquer dos mistérios que sempre ocultarei enunca revelarei qualquer uma das artes secretas, partes ou pontos dos mistériosocultos da maçonaria que me vão ser confiados, senão a um bom e legítimo irmãoou em loja regularmente constituída, nunca os escrever, gravar, traçar,imprimir ou empregar outros meios pelos quais possa divulgá-los. Juro tambémajudar e defender meus irmãos em tudo o que puder e for necessário, ereconhecer como Potência Maçônica regular e legal no Brasil o Grande Oriente doBrasil, ao qual prestarei obediência. Se violar este juramento, seja-mearrancada a língua, o pescoço cortado, e meu corpo enterrado nas areias do mar,onde o fluxo e o refluxo das ondas me mergulhem em perpétuo esquecimento, sendodeclarado sacrílego para com Deus, e desonrado para com todos os homens. Amém”.

Em seguida, o neófito é conduzido para uma salacontígua ao templo, onde já se encontram colocadas duas urnas com espírito devinho aceso. Deitado no chão, sobre um pano preto, deve estar um irmão (maçon),como se estivesse morto, amortalhado com a capa do 1º Experto. Todos os irmãosestarão de pé, sem insígnias, e armados de espada que apontam o neófito. Este éentão desvendado pelo Venerável e encontra-se subitamente num ambiente lúgubre,com inúmeras espadas voltadas para ele. E ouve as graves admoestações doVenerável:

“Este clarão pálido e lúgubre é o emblema do fogosombrio que há de alumiar a vingança que preparamos aos covardes que perjuram.Essas espadas, contra vós dirigidas, estão nas mãos de inimigosirrecon-ciliáveis, prontos a embainhá-las no vosso peito se fordes tão infelizque violeis vosso juramento”. Ou seja, se sair da ordem maçonica, SERÁ MORTO!

Como bem se expressa o Dr. Boaventura Kloppenburg,temos de ponderar que não estamos lendo alguma peça teatral, nem um documentoantigo de sombrias épocas de sangue e vingança, mas o ritual prescrito parainiciação no primeiro grau da maçonaria.

Daí a pergunta que não quer calar: “Pode o cristãosubmeter-se a um ritual e juramento imbuídos de aspectos explicitamentecondenáveis pela Palavra de Deus? Como imaginar até mesmo um pastor diantedesse sacramento de iniciação maçônico? Como congregar, sob o mesmo teto,evangélicos, espíritas, muçulmanos, umbandistas, católicos, budistas, entreoutros grupos religiosos, em nome de uma entidade divina conhecida pelo títulode ‘Grande Arquiteto do Universo’? Será que tais pessoas estão de fato adorandoo Deus de Abraão, Isaque e Jacó? Ou seja, o Deus da Bíblia?”.

Sem querer me estender muito, a maçonaria é uma verdadeira palhaçada.

Fonte: ICP

6 comentários:

  1. Deivid Barreto.
    O mais triste é saber que existem "ícones" no meio evangélico que se submentem a isso. Caro irmão, sabemos que as escrituras tem que se cumprir (esse mundo vai de mal a pior); estou contigo nesse. Rm 12.2
    Fica na Santa, Gloriosa, Maravilhosa, Masjestosa e Confortával Paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. (Porque pra Ele e pra Ela são todas as coisas ... Porque sem Ele, nada do que foi feito existiria.)

    ResponderExcluir
  2. Querido Deivid,

    A paz do Senhor!

    Obrigado pela visita a este humilde blog. Diante de tantas heresias pregadas no nosso país, ainda temos, como você mesmo disse, "ícones" no meio evangélico que participam destes cultos a Baal. Oremos para que Deus nos livre dos tais.

    Deus te abençoe, e mais uma vez obrigado pela visita. Fique á vontade para comentar.

    ResponderExcluir
  3. Salve a Santa ignorância dos donos da verdade.Se a maçonaria aceitasse qualquer um, como igrejas que arrebatam o cidadão e o que mais conta é a quantidade de pessoas,para promover-se e se adiantar pobre coitado, as igrejas deveriam ter aulas de como preparar um ser humano melhor para a sociedade, se dependesse da igreja estariamos vivendo ate hj na escravidão, nas trevas e sem luz do conhecer.

    ResponderExcluir
  4. Caro anônimo,

    Concordo com o "venerável" quando fala sobre meninices nas igrejas e a busca por quantidades e menos qualidade, infelizmente algumas igrejas precisam amar mais o evangelho e seguir seus ensinamentos dentro de uma exegese correta, mas, sobre preparar o ser humano melhor para a sociedade, a maçonaria deixa a desejar anos luz da igreja cristã hodierna. Que exemplo a maçonaria teria a dar quando esconde seus "rituais" duvidosos da sociedade? Por que não se expõem como faz a igreja cristã, com seus erros e acertos? O que seria escravidão, trevas e luz do conhecer para o venerável? Se o conhecer a verdade que o sábio se refere for fazer acepção de pessoas como a maçonaria faz, realmente somos infelizes.

    Mostrem-se, desencapem-se, exponham-se, tirem suas máscaras e mostrem ao mundo e a sociedade o que vocês são, no que acreditam e o quê ou quem vocês verdadeiramente adoram. Fundamentem seus ensinos e seus rituais de irmandade para a sociedade. Por que o medo? Por que a capa? Façam como nós cristãos, com nossos erros e acertos, não temos medos de falar para o mundo no que acreditamos e o que ensinamos.

    Será que a maçonaria faria o mesmo? Acho que não colega, tanta exposição para vocês seria escândalo para a humanidade sobre o que vocês ensinam e qual o verdadeiro motivo desta sociedade tão secreta.

    Mostrem-se sem medo.

    ResponderExcluir
  5. Fico abismado com a curiosidade e criticas à maçonaria. O que incomoda vocês? Qual é o mal que causamos às religiões. Vocês querem implantar a inquisição novamente? Deixem-nos em paz. Pessoas como vocês não nos servem, porque queremos homens livres e de bons costumes. Vocês são prisioneiros de dogmas implantado por homens e Deus nos deu a liberdade de pensar. Vocês são escravos da ditadura religiosa e obedecem os que pregam o terror em nome de Jesus.

    ResponderExcluir
  6. Caro anônimo,
    Em primeiro lugar, identifique-se, não entre em blogs enfiando sua opiniões e saindo sem identificar-se. Isso é covardia. Faça como eu, mostre-se e dê a cara para bater.
    Em segundo lugar, só responderei suas críticas com sua identificação, caso contrário as suas palavras aqui não passará de devaneios.
    Obs: Só responderei aos seus e aos demais comentários com sua respectiva identificação.

    ResponderExcluir