terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

TALENTO PLAUSÍVEL



Kseniya Simonova foi a vencedora da edição Ucraniana do Got Talent-Tens Talento.
Ela fez uma animação da invasão da Alemanha na Ucrânia durante a Segunda Guerra Mundial, tendo usado os dedos e uma superfície com areia.
Trouxe lágrimas aos olhos de juízes e do público.
Foram 8 minutos maravilhosos que demonstraram um talento especial e trouxeram, através da arte, a memória viva de uma guerra que marcou várias gerações.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

CITAÇÕES PARA ATEUS

Para ser ateu, é necessário uma medida de fé infinitamente maior do que para admitir todas as grandes verdades que o ateísmo nega.
Joseph Addison

O ateísmo é a morte da esperança, o suicídio da alma.
Anônimo

Um problema que um ateu enfrenta é que ele não tem com quem conversar quando está só.
Anônimo




Nenhum homem diz "Deus não existe", a não ser aquele que tem interesse em que ele não exista.
Agostinho

O mundo ainda está esperando pelo primeiro ateu sábio.
J. Blanchard

Quem não acredita na existência de Deus é mais vil do que um demônio. Negar que Deus
existe é uma espécie de ateísmo que não será encontrado nem no inferno.
Thomas Brooks

Ateu é um homem que não tem nenhum meio invisível de sustento.
John Buchan

Negar a existência de Deus é praticamente a mesma coisa que fechar um olho. Talvez seja
esta a razão por que Deus nos deu dois olhos.
C. A. Coulson

Para ser ateu não é preciso ter cérebro.
Dwight D. Eisenhower

O ateu está um passo à frente do diabo.
Tomas Fuller

Sempre me pareceu inteiramente absurdo o fato de um ateu manifestar tão profunda
consideração pelos produtos de um universo no qual o acaso é rei.
Michael Green

Admira-me encontrar uma pessoa inteligente que luta contra algo que ela mesma não crê absolutamente que exista.
Mohandas Gandhi

O diabo divide o mundo entre o ateísmo e a superstição.
George Herbert

A moralidade ateísta não é impossível, mas nunca satisfará nossos objetivos.
Roswell D. Hitchcock

Posso entender que é possível olhar para o chão e ser ateu, mas não posso conceber como
alguém pode olhar para o céu e dizer que Deus não existe.
Abraham Lincoln

A melhor resposta a um ateu é oferecer-lhe um bom jantar e perguntar-lhe se ele crê que
existe um cozinheiro.
Louis Nizer

Ateísmo é um negócio cruel e de longo prazo.
Jean-Paul Sartre

Em seu coração, a religião do ateu tem um vazio com a forma de Deus.
H. G. Wells

Não há ateus em trincheiras nem em botes salva-vidas.
James Whitaker

Crédito da imagem: arabedoido.blogspot.com

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

FÉ DE MÃOS DADAS COM A RAZÃO

Os maniqueístas, seita filosófica religiosa sincrética e dualística fundada e propagada por Maniqueu, ridicularizavam a fé como uma atividade indigna de qualquer pessoa culta e educada. Nunca tome algo pela fé, eles ensinavam, mas confie somente no que você conhece pela razão. Agostinho defendeu a fé contra esse tipo de ataque. Para ele, fé não é inferior à razão; a verdadeira fé nunca
conflita com a razão. De fato, a fé é um passo indispensável em qualquer ato de conhecimento, um ponto que Agostinho expressou na famosa frase Credo ut
intelligam: Creio para que possa entender. Todo conhecimento começa em fé.
Fé não é única à religião. Antes, ela é um elemento indispensável em todo ato de
conhecimento.

Agostinho definiu fé como conhecimento indireto, isto é, qualquer crença
que é dependente do testemunho de outra pessoa ou documento. Fé é
indispensável; é o princípio do conhecimento. Fé é uma pré-condição do
conhecimento. “A menos que creias, jamais entenderás”, ele escreveu.
Considere nosso conhecimento dos registros da história. A menos que primeiro
tenhamos fé na confiabilidade das nossas fontes, nunca conheceríamos algo
sobre o passado. A menos que tenhamos fé no testemunho de parentes e
documentos como certidões de nascimento, nunca seríamos capazes de
conhecer nossa própria identidade. Enquanto a fé é conhecimento mediado, a
razão é conhecimento imediato; a conhecemos por nós mesmos.

Mas se a fé vem primeiro no tempo, a razão vem primeiro em
importância. De acordo com Agostinho, as fontes para a nossa informação
devem ser testadas. A relação entre fé e razão é análoga às duas lâminas de uma
tesoura. Não faz sentido perguntar qual lâmina corta; o corte ocorre quando as
duas trabalhas juntas. Similarmente, não faz sentido perguntar se a fé ou razão é
o elemento mais importante no conhecimento humano. Os humanos conhecem
somente quando a fé e a razão trabalham juntas.

Crédito da imagem: radiogospelonline.org

CÉTICOS, ARF...

Os argumentos de Agostinho contra o ceticismo ainda continuam sendo o ponto de partida apropriado para qualquer refutação desse erro. Os céticos alegam que ninguém pode conhecer algo; nenhuma proposição é verdadeira. Observamos a contradição lógica e auto-refutadora de tais afirmações. Agostinho não menciona essa objeção, focando-se ao invés disso numa linha de ataque diferente. Mesmo os céticos mais radicais sabem que eles existem. "Si fallor sum", Agostinho escreveu. Se estou enganado, então devo existir. A existência é uma condição necessária para cometer enganos. 

Pessoas que não existem não podem estar erradas. Mas se eu sei que existo, então o ceticismo (a visão de que ninguém pode saber algo) deve ser falso. Se conhecemos ao menos uma verdade, o ceticismo está refutado.

Essa refutação particular do ceticismo é interessante por várias razões. (Primeiro) Como Armstrong explica, “ela significa que o homem tem conhecimento direto e imediato, não através dos sentidos, de pelo menos uma realidade espiritual: ele como um sujeito pensante”. (Segundo) Embora Agostinho admitisse que certo conhecimento humano é obtido através dos sentidos, “o conhecimento mais alto e importante para ele é esse contato imediato da mente
com a realidade espiritual e inteligível para a qual o primeiro passo é nossa consciência do nosso ser como uma realidade viva e pensante”. (Terceiro) Além do mais, Armstrong continua, “Ao conhecer nossa existência conhecemos uma verdade e, tendo uma vez refutado os (céticos) e nos libertado do ceticismo sem esperança ao chegar nessa certeza absoluta, seremos capazes de continuar e descobrir que conhecemos outras verdades”. (Quarto) Uma reflexão cuidadosa sobre as verdades que podemos conhecer revela-as como sendo eternas e imutáveis. De onde tais verdades podem vir? Para Agostinho, elas podiam vir somente de uma Mente eterna e imutável.