segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Depressão: Uma dor na alma parte II


Graça e paz da parte de Cristo Jesus!
Na continuação deste tema tão discutido ultimamente e tão complexo, veremos a seguir uma breve explanação que denota bastante reflexão e serenidade.

Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei na salvação da sua presença. Sl 42



No Salmo 42:5 o salmista num estado de profundo desânimo clama ao Deus de Israel a segurança da sua vivificante presença. Crendo que o Senhor o socorrerá e acolherá desta terrível solidão que assola sua alma.

Os sintomas são sempre o mesmo:

¨ Insônia ou comportamento irregular do sono, resultando que a pessoa afetada acorda cansada;
¨ Apatia, pouca concentração, não lembrando, sequer, o que leu;
¨ Perda de apetite e a comida parecem sem sabor;
¨ Cansaço crônico;
¨ Indecisão, tornando-se impraticável decidir até sobre pequenas coisas;
¨ O amor e a afeição diminuem, pois o deprimido considera os amigos mais chegados como antipáticos; há um desejo de se afastar dos outros;
¨ Diminuição ou perda total de interesse nas pessoas, coisas, ideias, igreja, coisas espirituais;
¨ Irritabilidade, agressividade, comportamento explosivo, dando como consequência que o deprimido não pode controlar a sua irritabilidade sobre coisas pequenas do dia a dia;
¨ Remorso pelo passado, por coisas que não deveria fazer, mas fez;
¨ Choro involuntário;
¨ Desespero; aliás, ensina um estudioso do assunto que são três os estágios da depressão: Ameno, quando se dá o desalento; Sério, ao vir o abatimento; Grave, quando cai o desespero. Dizem ser "difícil continuar vivendo", expressão muito ouvida, por sinal;
¨ Auto-depreciação, com expressões do tipo "Tudo o que eu faço sai errado";
¨ Baixa auto-estima, ou seja, a sensação de não ser amado ou que ninguém se interessa por nós.

Mas a pergunta que não quer calar é: Qual a causa da depressão?

A situação existencial está entre as principais causas deste mal. É como se vive no trabalho, no lar, na escola. O emprego que não oferece recompensa, mas não pode ser deixado porque não há outro em vista; muita tensão de horários e prazos; trabalhar com metas exorbitantes e constantes pressões, tensão doméstica, econômica, déficit de sono, pouco exercício físico, problemas pessoais, problemas de criação, problemas na infância, problemas de relacionamento, distância de Deus (Não a principal causa), a meia-idade (difícil para o homem, ainda mais difícil para a mulher), desapontamentos, enfermidade, depressão após o parto, rejeição, alimentação inadequada, efeito de entorpecentes, perda de emprego, perda de posição, perda de pessoas queridas por morte, divórcio, abandono, etc., etc.

Outras depressões não têm sentido aparente, porém, na verdade, são provocadas por um desequilíbrio interno, como desordens glandulares ou hipoglicemia. A verdade é que a depressão é uma condição da qual o inimigo da nossa alma se aproveita para tornar o povo de Deus inútil para a Obra de Cristo, e usa o estado de pressão para levar a sentimentos de culpa, e mesmo o conhecimento da graça e da misericórdia do Pai não parece ter poder para ajudá-los. Assim vem a autocondenação. Entende o cristão deprimido que Deus dá perdão, mas não o experimentou ou acha que não foi salvo ou que perdeu a salvação, ou ainda que cometeu o pecado imperdoável (sem saber defini-lo).

A ciência relata de pelo menos 3 diferentes fatores que podem causar a depressão.

A Bioquìmica - Onde certas substâncias químicas no cérebro podem contribuir para tais sintomas.

A genética - Onde um gêmeo idêntico tem depressão, o outro tem 70% de chance de ter a doença em algum momento da vida.

A personalidade - Onde pessoas com baixa autoestima, que são facilmente oprimidas pelo estresse, ou que são geralmente pessimistas, parecem mais propensas a sofrer de depressão.

Segue abaixo alguns fatores que podem ajudar a vencer ou, pelo menos, amenizar a depressão:

1 - Descanso: O descanso é essencial para amenizar a terrível sensação de exaustão que teima em persistir no nosso corpo. Um lugar tranquilo, sem barulho, sem alguém para questionar ou cobrar. Uma praia, um refrescante banho de mar, um chalé tranquilo com música ambiente, sentir-se em paz consigo mesmo e longe daquele chefe que teima em lhe cobrar metas: aquele parente insuportável com piadas sem graça, ou aquele ambiente em que você não suporta ficar, mas pra não mostrar ser desagradável, disfarça forçadamente uma empatia que não tem. Já dizia o pregador em Ec. 4:6Melhor é uma mão cheia com descanso do que ambas as mãos cheias com trabalho e aflição de espírito.”

2 – Desabafo: Ter alguém pra conversar e desabafar dá uma sensação de alívio e tranquilidade imensurável. Imagine você acender uma bomba cordão, colocar uma panela em cima e depois sentar em cima, é justamente assim que você se sente quando não conversa ou desabafa com alguém de confiança. O desabafo, em certas ocasiões, faz você tirar um peso das costas, mesmo que momentaneamente. Ajuda-nos a devolver nossa identidade e nossa autoestima. Ter alguém de confiança para conversar é achar diante do problema uma jóia preciosa em meio ao deserto Pv 17:17. Há momentos também que a pessoa não precisa desabafar com ninguém, mais um simples abraço e alguém que diga “estarei com você sempre”.

3 – Buscar a Deus: sabemos que a depressão, em sua maioria, não tem nada a ver com pecado, e isto já foi explicado aqui neste blog no post anterior concernente a este mesmo tema neste link. Mas digo sem medo de errar que na hora da crise existencial, do desespero, da vontade de chorar do nada, Deus se faz presente derramando seu bálsamo de acolhimento e nos acalmando com sua gloriosa presença. Sentir a presença de Deus nessa hora é primordial para o descanso da nossa alma. O salmista diz  em Sl 126:6 “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.” Começar uma oração mesmo não sabendo o que falar é o começo do derramamento espiritual que chegará a Deus como incenso suave e gemidos inexprimíveis como diz Rm 8:26 “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. 
Deus sempre estará pronto para acolher um filho seu que clama pela sua presença. Ele acolhe (Sl 6:9), refrigera a alma (Sl 23:3), Não despreza um coração quebrantado (Sl 51:17), Aquieta a alma (IS 32:18).

Confie em Deus; Procure ajuda; Não se isole; Se ocupe; Ore; Leia a Bíblia; Mude seu pensamento; Trate dos sintomas físicos.

A sensação de culpa mesmo sem ter feito algo de errado que destrói por dentro: a crise existencial que insiste em trazer pensamentos incoerentes: o medo do nada aparece como uma avalanche na sua mente: a vontade de sair correndo e chorando que atormenta: a vontade de ficar só e a perca do interesse por coisas e pessoas que antes eram primordiais para você, hoje te acompanham. 

O pior sentimento que você pode ter, é a sensação de que Deus te esqueceu, que suas orações não chegam até Ele e que Ele o abandonou. Muito cuidado, pois o coração humano é enganoso (Jr 17:9). Os planos de Deus para você será sempre de esperança (Jr 29:11).  Por mais que você não sinta e não acredite, Deus tem cuidado de você. Sua forte mão sempre estará estendida para te acolher e te suster.

 Pb Ricardo André

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós.